Share on Google+

Mãe!

  (Mother!)
Sinopse Uma história sobre um casal cujo relacionamento é testado quando convidados inesperados chegam à casa deles, perturbando sua existência tranquila.

Share on Google+

Informações


Título no Brasil Mãe!
Título Original Mother!
Ano Lançamento
Gênero Drama
País de Origem EUA
Duração121 minutos
Direção
Estreia no Brasil 21/09/2017
Estúdio/Distrib. Paramount Pictures
Idade Indicativa 16 anos

Trailer



Comentários


06/09/2017 - Marcelo (36 anos)

  Não vi
Denunciar
Tem tudo para ser um ótimo filme!

16/09/2017 - Lucia Maria Miranda (65 anos)

  Não vi
Denunciar
... Isso não é o Bebê de Rosemere parte II, não é?

21/09/2017 - Cinemaniaco (33 anos)

  Não vi
Denunciar
Galera, esse filme não e terror, pois já vi um comentário ai em cima, perguntando se era o bebe de Rosemary 2. Esse filme vai ser ame ou odeie, pois por comentários de quem já assistiu, ele é mais um drama de arte, e não tem nada a ver com terror. Acho que muita gente vai se enganar, fica aqui o meu registro.

21/09/2017 - Lucia Maria Miranda (65 anos)

  Regular
Denunciar
... Mi casa es tu casa? Mostrar Spoiler Que diachos de marido é esse > alienado, pervertido, pancadão, carente de auto afirmação? E o bebê, tadinho? Ainda estou tentando chegar a um consenso, mas se eu sobrevivi à Laranja Mecânica, parece que aqui, afinal de contas, sobreviverei a esse também!

21/09/2017 - Jorge (27 anos)

  Ótimo
Denunciar
Achei o filme uma OBRA DE ARTE. Um dos MELHORES filmes que vi na vida. Vi a crítica bem dividida uns acharam o filme péssimo e os que entenderam acharam uma obra prima. Os filmes de hoje em dia são quase todos MASTIGADOS. O público está muito mau acostumado e esperam receber tudo de mão beijada. Eles não tem paciência pra PENSAR. Um filme como Mãe dificilmente será esquecido, pois é algo ÚNICO que nunca vi nenhum outro filme tratar a história assim. Muitos diretores preferem mastigar seus filmes, fornecer ao público explicações demais, feito Christopher Nolan (Um de meus diretores favoritos) faz em seus filmes, mas quando temos diretores como Darren Aronofsky, David Lynch e tantos outros que criam seus filmes e quem não sabe PENSAR acha uma porcaria. SPOILERS Mostrar Spoiler
O filme Mãe como um todo é uma metáfora. Não é pra levar a história ao pé da letra. Quem termina o filme e não quer entender pensa no filme assim "Tem um casal, depois chega outro casal, depois dois filhos desse último casal acontece um porrada e coisa que não serviu pra nada. Péssimo filme". Quem não sabe pensar enxerga o filme assim. Quem não sabe pensar enxerga o filme assim. Quem realmente entendeu o filme e tem paciência pra pensar achou o filme excelente. O que eu entendi do filme.
Mostrar Spoiler Jennifer Lawrence representa a Mãe Natureza; Javier Bardem é Deus; O casal formado por Ed Harris e Michelle Pfeiffer é Adão e Eva; Os filhos desse casal são Abel e Caim (Perceberam que um deles sentiu inveja e matou o outro?); Aquela pedra que o Javier Bardem tanto zela é o FRUTO PROIBIDO; Quando o Javier Bardem mostra a pedra ao Ed Harris ele não permite que a toque. Quando a Michelle Pfeiffer (Eva) tenta entrar na sala o que a Jennifer Lawrence fala é que não pode entrar lá sem que o Javier Bardem não esteja lá, no caso Deus. Quando o Ed Harris e Michelle Pfeiffer quebram a pedra representa que eles provaram o FRUTO PROIBIDO que o que o Javier Bardem faz ele os expulsa da sala e TRANCA A PORTA. O que são todas aquelas pessoas que entra na casa? São os FIEIS, e o Javier Bardem (Deus) tenta dá atenção a todos. Todas as vezes que a Jennifer Lawrence passa mal é a Mãe Natureza sentido a destruição da Natureza que é representada pela Casa. O filho da Jennifer Lawrence e do Javier Bardem representa uma nova vida que acabou de nascer e o que acontece? Os seres humanos também o destroem feito fazem com a Natureza. Todo o filme se passa pelo ponto de vista da Jennifer Lawrence, no caso temos a Mãe Natureza vendo tudo o que está acontecendo ao seu redor. Ela reconstruindo e pitando a casa é a Mãe Natureza da própria Natureza. No final do filme quando a Jennifer Lawrence morre, o Javier Bardem retira uma nova pedra de seu coração recomeçando todo o ciclo.
O POVO NÃO SABE PENSAR! Caramba,. As únicas coisas que ainda não consegui decifra é o que era aquele remédio amarelo que a Jennifer Lawrence toma e a falta de inspiração que o Javier Bardem tem pra escrever o livro.
Filmaço. Nota 10/10.

21/09/2017 - Jorge (27 anos)

  Não vi
Denunciar
SPOILER
Correção sobre o filho da Jennifer Lawrence e do Javier Bardem. Mostrar Spoiler O filho representa Jesus.
A falta de inspiração que o Javier Bardem representa a transição do Velho Testamento pro Novo Testamento. Toda aquela água na casa depois da pia cair é o dilúvio, até fora da casa começou a chover.

21/09/2017 - José Alberto (50 anos)

  Ótimo
Denunciar
Gente, que filme fantástico! Saí do cinema com a cabeça atordoada. Gosto quando um filme me provoca isso. Gostei da metáfora "mãe" se estender também à casa, lugar onde se abriga a todos, e porque também ela demonstra ter vida sempre que a Jennifer Lawrence toca nas paredes. Interpretações muito boas de todos e um roteiro pra lá de interessante. Só queria saber qual foi a droga que Darren Aronofsky tomou para roteirizar e dirigir esse filme (Queria experimentar... Rsrsrs).

22/09/2017 - Lucia Maria Miranda (65 anos)

  Não vi
Denunciar
... Pelo andar da carroça parece que sou a única aqui que não assimilou o espírito do Aronfsky, mas deve de ser a minha massa cinzenta do cérebro e as caraminholas que me preocupam na minha viagem à China no começo de Novembro e aquele vizinho do entorno que é meio chegado à lançamentos bombásticos. Preciso ver algo mais light e menos denso!

22/09/2017 - Paulo Nobre (60 anos)

  Regular
Denunciar
Conversando com alguns colegas que foram ver o filme, percebo e acredito, que as opiniões sobre o filme serão bem antagônicas.Não vou entrar no mérito das atuações, que na minha opinião foram boas. Acho que o filme ficou mais para suspense do que para drama em alguns casos parecia uma comédia dramática. É claro, que só podemos aceitar esse filme, melhor dizendo entendê-lo, como sendo uma metáfora. Agora, realmente afirmar alguma coisa só conversando com o roteirista, que por um acaso é o diretor, para realmente poder dizer; ele quis passar essa mensagem. Achei, que do meio para o final o filme ficou um pouco repetitivo ao mostrar a agonia da Mãe (Jennifer Lawrence). O colega acima, Jorge, deu uma boa possível interpretação da metáfora pretendida pelo diretor. Mas, não se trata de entender ou não e sim de se gostar ou não. Eu particularmente achei apenas regular e não veria de novo, mas teve o efeito de me fazer ficar pensando muito quando sai do cinema. Ratifico o que já mencionei no início; será um filme com opiniões bem diversas e quando digo isso não me refiro aos poucos que comentam no site.

Novo Comentário
Faça seu comentário, mas por favor, siga estas regras:
- Não faça perguntas, faça comentários sobre o filme;
- Não conte o final do filme nem partes importantes para o desfecho, mas se necessário marque o texto;
- Seja objetivo e descreva o porquê de sua nota;
- Se você ainda não assistiu ao filme, dê nota "Não vi";
- Não critique outros comentários, apenas faça o seu, sem preconceitos;
- Se você não gosta deste gênero de filme, é melhor não comentar;
- Comentários que descumprirem estas regras, serão excluídos totalmente.

 Agradecemos a colaboração. Bom uso!

O Texto Contém Spoiter? Sim / Não     Selecione o texto com "Spoiler" e click aqui.

Nome: Idade:  Nota:

Últimos Visitados

Mãe! (Mother!)

Copyright © 2017 www.interfilmes.com - Todos os Direitos Reservados. Acesse a Política de Privacidade.