Share on Google+

Inside Llewyn Davis - Balada de Um Homem Comum

  (Inside Llewyn Davis)
Sinopse Inside Llewyn Davis – Balada de Um Homem Comum acompanha uma semana na vida de um jovem cantor folk, ambientada no bairro de Greenwich Village, Nova York, em 1961. Llewyn Davis (Oscar Isaac) está numa encruzilhada. Com seu violão em punho, acuado pelo imperdoável inverno novaiorquino, ele luta para viver como músico, apesar de enfrentar obstáculos quase intransponíveis – muito por sua própria culpa. Vivendo à mercê de amigos e estranhos, assustado com os trabalhos que encontra, as desventuras de Davis o levam de bares no Village a um clube vazio em Chicago, enfrentando uma odisseia para ter uma audição com um influente empresário musical – e depois voltar.

Share on Google+

Informações


Título no Brasil Inside Llewyn Davis - Balada de Um Homem Comum
Título Original Inside Llewyn Davis
Ano Lançamento
Gênero Drama / Musical
País de Origem EUA / Reino Unido / França
Duração104 minutos
Direção /
Estreia no Brasil 21/02/2014
Estúdio/Distrib. Paris Filmes
Idade Indicativa 12 anos

Elenco


... Llewyn Davis
... Jean
>> Ver todo o Elenco...

Trilha Sonora


“Hang Me, Oh Hang Me”Traditional
Arranjo de Oscar Isaac e T Bone Burnett (como T Bone Burnett)
Interpretada por Oscar Isaac
“Farewell”Escrita por Bob Dylan
Interpretada por Bob Dylan
>> Ver toda a Trilha Sonora...

Trailer



Comentários


21/02/2014 - Sérgio Sarmento (60 anos)

  Ótimo
Denunciar
Assisti nesta tarde NO CINEMA quando houve seu lançamento nacional. Olha! Ver, assistir um filme sempre é um ato solitário de uma grandeza inimaginável para um cinéfilo como eu. Agora assistir, ver um filme dos fabulosos diretores norte americanos de ascendência judaica chamados Irmãos Coen posso multiplicar por dez pela satisfação proporcionada. Pela característica de sua filmografia podemos dizer que em sua maioria seus filmes são rodados para satisfazer sempre um herói comum. O que é, neste caso, o filme que assisti pela tarde. Desta feita sua história é passada em 1961. Aliás uma reconstituição de época primorosa. Apesar de bem simples. Mas por demais convincente. E nos fala de um cantor de baladas musicais. Por justiço devo dizer que as músicas são belíssimas. O ator principal é o guatemalteco Oscar Isaac. Com uma enorme atuação! Ele é o Sol deste filme! A obra mostra um cara sem glamour algum. Uma pessoa sem sorte, um malogrado, um arrogante. Trata as coisas como um " não quero nem saber ". Em síntese o filme trata sobre a vida de " perdedor ". O bom nisso tudo é que os diretores tratam o personagem sempre com ternura, sempre com carinho. A grandeza sempre está nisso. Pois até na coisa malograda podemos ver esperança. O filme nos passa além da frieza do protagonista. Mostra o frio de uma Nova York dos anos 60 do século passado. Com uma fotografia (indicada ao Oscar) em tons cinzas e as vezes passando para um quase preto. O filme é, ainda, pontuado por atuações magnificas de seus coadjuvantes. Onde indico a bela e talentosa atriz britânica Carey Mulligan cantando maravilhosamente. O " ator " Justin Timberlake em sua melhor atuação no CINEMA. Aparece três minutos em cena e fazendo aquilo que sempre soube fazer: Cantar. Mas quem rouba o filme nas cenas que aparece ( e é em torno de 5 minutos e olhe lá) e o notável John Goodman (e se não me engano em seu sexto filme como os diretores). Bem! O filme pode até não ser uma obra prima dos diretores. Mas de uma coisa temos certeza ao sair do CINEMA. O filme é maravilhoso! E depois o nosso sorriso de felicidade é a prova disso tudo. Podem ter certeza!

03/05/2014 - Henrique (57 anos)

  Ruim
Denunciar
Gosto da maioria das criticas do colega Sergio Sarmento, mas, para mim, as vezes ele "derrapa feio", é o caso desse desnecessário filme, que é uma chatice (observando que eu gosto muito de filmes sobre música) mas esse não dá..., o filme é arrastado, o personagem fica perambulando e a história não flui, acreditem que ele canta uma música inteira, no começo do filme e no final novamente a mesma música! Gostaria que assistissem ao filme, pode ser que eu é que não estava em um dia bom (acho difícil, sou bastante paciencioso).

22/05/2014 - Sérgio Sarmento (60 anos)

  Ótimo
Denunciar
Assisti ao filme novamente em 29.03.2014. Mas o que tinha que escrever já comentei logo acima em 21.02. Mas voltei porque o colega Henrique de 57 anos ficou SURPRESO por eu adorar um filme como este que considero ótimo e ele deu. Pasmem! Ruim! Ora seu Henrique. Apesar de não concordar em nada do que escreves leio atentamente seus comentários no site INTERFILMES. Você com certeza vai estar se perguntando. Poxa! Se esse cara não gosta do que escrevo por que lê? Pelas simples razão que leio tudo que aparece sobre cinema em minha frente. Nada de CINEMA me é estranho! Pelo simples fato que tudo que aparece em CINEMA na minha cidade eu assisto. Só esclareço que moro em uma capital de estado que possuiu mais de 80 salas de cinema. Perfazendo um total de, em torno, uma sala para cada 20 mil habitantes. Isto é magnífico, pois é sabido que brasileiro não vai a cinema e quando vai assiste cinemão americano. Filmes que de maneira alguma exigem cérebro. Mas não condeno, pois também assisto e adoro tudo isso. O que lamento é que filmes importantes, para nosso intelecto, não assistimos em nosso Brasil. Mas seu Henrique me atrevo a dizer que o senhor não gostou do filme porque não entendeu esta obra magnifica. Em primeiro lugar eu não " derrapo feio " como o senhor falou. Simplesmente porque não escrevo só para o senhor. Eu escrevo meus comentários para mim, para minha neta de 9 anos que vai ao CINEMA comigo desde os 3 anos, para minha esposa, meu filho e meus amigos. Pois eles me conhecem e sabem meu potencial cinematográfico. Em segundo, sempre tendo seu comentário como roteiro, este filme não é um musical. Ele simplesmente fala de um cantor de música que mostra muito mais seu drama em um mundo que ele simplesmente não se adapta. É no geral o que chamamos de um cara " perdedor ". É claro que o filme anda e muito. Pois ele consegue ir de costa a costa nos EUA. E onde acontece, ao meu modo de ver, as coisas mais importantes da trama. Mas a pior coisa que você escreveu é dizer que ele canta a mesma música no começo e no final do filme. Ora! Seu Henrique! Aqui o senhor prova que realmente não entendeu o filme. Este filme é o que chamamos que seu início é o final do filme. Pois ele se inicia do final e retrocede ao início através de um grande flashback. Onde efetivamente vai ter seu termino. O cantor vivido esplendidamente pelo guatemalteco Oscar Isaac, na real não canta " no início e no final novamente " como você diz. Mesmo porque, repito, o início e o final do filme. Mas convenhamos não precisamos ser muito inteligente para notar isso. É só prestar atenção naquilo que assistimos. Com seus comentários o senhor prova que vai bastante ao cinema. Isto é bom! Pois o brasileiro não vai mesmo ao CINEMA. Mas igualmente seus comentários confundem quem está lendo os mesmos. Pois dizer que o filme é um musical e dizer, ainda, que o cantor canta a mesma música no início e no final. É altamente confuso para quem não assistiu o filme. Termino dizendo que sempre procure ler meus comentários. Pois, repito, meus comentários são bastante criteriosos e só escrevo bastante porque entendo mesmo do riscado. E por favor! Me queira sempre bem!

25/05/2014 - Paulo (53 anos)

  Regular
Denunciar
Assisti ao filme mais pra ver quem esta certo na briga Henrique X Sarnento, e a minha conclusão foi que realmente o filme é muito chato, parado e meio sem sentido. Talvez se fosse sobre um cantor de Rock, sei lá, poderia ser mais legal pelo menos pelas músicas, mas Folk? Bem, pelo menos acertaram em uma coisa: realmente é um drama (pra quem assiste).

26/05/2014 - Julio Simi Neto (57 anos)

  Regular
Denunciar
É sempre legal ver o trabalho dos irmãos Coem, é o caso desse bom filme que retrata o início dos anos 60 e o estilo da música "folk" que teve seu auge nesta década. É a história de um cantor e compositor talentoso, porém sem sorte que vive na dependência dos outros. O destaque esta no final no filme, ao terminar sua apresentação o nosso Liewyn Davis observa no palco a chegada de um novato, é nada menos que Bod Dylan.

13/06/2014 - Henrique (57 anos)

  Ruim
Denunciar
Sergio, é claro que entendi que a música do início é o fim do filme (só achei desnecessário repetir), não disse que era musical (e sim sobre música), mas continuo te achando grande conhecedor (tanto que muitos e muitos filmes assisto depois de ver suas críticas) até por que não entendo tanto de cinema, mas as vezes não gosto de alguns filmes que você gosta.

28/07/2014 - Augusto (52 anos)

  Péssimo
Denunciar
O filmes dos irmãos Cohen você ama ou odeia, sem concessão. Esse Balada de Um Comum é para odiar. O filme não se desenvolve, vai do nada a lugar algum, é cansativo e modorrento. Os atores não convencem, Oscar Isaac (Law & Order) é bom ator, mas está totalmente perdido neste filme. As músicas são ruins de doer. Fazer um filme deste é chamar o público que o assiste de trouxa. Fujam dessa fria.

20/03/2017 - Renato (37 anos)

  Ótimo
Denunciar
Eu gostei muito do filme, não entendi como alguém deu nota baixa para esse grande filme dos irmãos Coen.

Novo Comentário
Faça seu comentário, mas por favor, siga estas regras:
- Não faça perguntas, faça comentários sobre o filme;
- Não conte o final do filme nem partes importantes para o desfecho, mas se necessário marque o texto;
- Seja objetivo e descreva o porquê de sua nota;
- Se você ainda não assistiu ao filme, dê nota "Não vi";
- Não critique outros comentários, apenas faça o seu, sem preconceitos;
- Se você não gosta deste gênero de filme, é melhor não comentar;
- Comentários que descumprirem estas regras, serão excluídos totalmente.

 Agradecemos a colaboração. Bom uso!

O Texto Contém Spoiter? Sim / Não     Selecione o texto com "Spoiler" e click aqui.

Nome: Idade:  Nota:

Últimos Visitados

Inside Llewyn Davis - Balada de Um Homem Comum (Inside Llewyn Davis)

Copyright © 2017 www.interfilmes.com - Todos os Direitos Reservados. Acesse a Política de Privacidade.