Share on Google+

Até o Último Homem

  (Hacksaw Ridge)
Sinopse Durante a Segunda Guerra Mundial, o médico do exército Desmond T. Doss (Abdrew Garfield) se recusa a pegar em uma arma e matar pessoas, porém, durante a Batalha de Okinawa ele trabalha na ala médica e salva mais de 75 homens, sendo condecorado. O que faz de Doss o primeiro Opositor Consciente da história norte-americana a receber a Medalha de Honra do Congresso.

Share on Google+

Informações


Título no Brasil Até o Último Homem
Título Original Hacksaw Ridge
Ano Lançamento
Gênero Drama / Épico / Guerra
País de Origem Austrália / EUA
Duração139 minutos
Direção
Estreia no Brasil 26/01/2017
Estúdio/Distrib. Diamond Films
Idade Indicativa 16 anos

Elenco


... Desmond Doss
... Teach
>> Ver todo o Elenco...

Trilha Sonora


“To God be the Glory ”(Traditional Song)
Escrita por Fanny Crosby
Música de William Doane
“We're Gonna Have To Slap The Dirty Little Jap ”Letra e música de Bob Miller
Universal Music Corp.
Administered by: Universal Music Publishing Pty Ltd

Trailer



Comentários



  >> Ver todos os Comentários...

01/02/2017 - Cindi Prazeres (29 anos)

  Ótimo
Denunciar
Filme muito bom, serve de reflexão em vários pontos, vale a pena!

01/02/2017 - Henrique (59 anos)

  Não vi
Denunciar
Moro em São José do Rio Preto, interior de São Paulo, uma cidade com 5000.000 habitantes e não dá para acreditar que esse filme, tão esperado por mim, não foi lançado aqui. Passam essas bobagens como "Os Penetras 2" e deixam para trás um grande filme como esse. Por mais que eu tenha uma mega estrutura em casa, como dizem, CINEMA é CINEMA. Que droga!

03/02/2017 - Paulo Nobre (59 anos)

  Ótimo
Denunciar
Simplesmente espetacular, ÓTIMO, ÓTIMO, ÓTIMO. Talvez tenha sido um dos 100 melhores filmes que já vi na minha vida. Saí do cinema agora e estou sentindo a emoção do filme até agora. Com certeza verei ele de novo e farei questão de tê-lo comigo para rever quando quiser. Gostaria de agradecer aos roteiristas Robert Schenkkan e Andrew Knight e ao diretor Mel Gibson, pelo excelente filme, que foi baseado em fatos reais. Souberam retratar muito bem toda a emoção, que o verdadeiro Desmond Doss, junto com todos os outros envolvidos, viveram. É um filme que fala em fé, determinação, respeito e amor, entre outras coisas. O casal (Andrew Garfield e Teresa Palmer) formou um par muito bonito e achei a atuação de Andrew boa. O grande Mel Gibson é especialista nesse tipo de filme (com emoção), Quem é que não se lembra de: O Homem Sem Face, Coração Valente, A Paixão de Cristo (parece que vai ter o 2) e Apocalypto. Quando vim a esse site e vi que quase todos os comentários acima eram de data anteriores a estreia nos cinemas do Brasil, fui pesquisar e vi que o filme havia sido apresentado pela primeira vez na Itália em 4/9/2016 no Venice filme Festival. Parece que a estreia comercial foi em novembro na Austrália (o filme é uma produção da AUS e EUA). E aí como sempre digo, a internet não perdoa. Confesso que se soubesse disso já teria visto, claro que iria rever de qualquer maneira no cinema. VALE MUUUIIITO A PENA.

05/02/2017 - Vinicius (36 anos)

  Regular
Denunciar
Achei o filme apenas razoável, pois me passou a impressão que, a partir da metade do filme, a história real foi contada de maneira irreal e inverossímil. Mostrar Spoiler Difícil de acreditar que o salvamento daqueles 75 combatentes se deu daquela forma. Na minha opinião, não há espaço pra qualquer comparação com o Resgate do soldado Ryan, que é infinitamente melhor.

08/02/2017 - Henrique (59 anos)

  Ótimo
Denunciar
Quando já tinha desistido, do nada, estreou em minha cidade de 500 mil habitantes rsrs, esse tão esperado filme. Mel Gibson, mesmo polêmico é um ótimo Diretor, Paixão de Cristo é um clássico. "Até o último homem" é um ótimo filme sobre a bondade humana, produção de primeira, efeitos visuais perfeitos e uma história emocionante. Todos atores estão bem, até o feioso Andrew Garfield esta bem, foi até indicado ao Oscar, alias falando em Oscar, o filme foi indicado ao Oscar 2017 de melhor filme, dificilmente vence, mas para mim, um filmaço. Ahh gostei de ver Vince Vaughn (que geralmente faz personagens abobalhados), como o sargento durão.

08/02/2017 - Sérgio Sarmento (63 anos)

  Ótimo
Denunciar
Assisti NO CINEMA, no dia de ontem, quando de sua estreia nacional e realmente efetivada no dia 26.01 passado e portanto em segunda semana. Olha! Bom filme! Sem muito alarde como confirmei. O diretor Mel Gibson é daqueles casos excêntricos que só os diferenciados humanos são ungidos. Este ator e diretor australiano e conhecido por mim e todos que entendem "um pouco" DE CINEMA pelo seu primeiro filme Mad Max (1979) vindo de um pais pouco afeito ao mundo cinematográfico que conhecíamos, então, como a Austrália. Em um filme estranho, pois se passa no deserto australiano e com um ambiente pós apocalíptico. E o cara, então, a seguir, vinha com outros dois Mad Max. E com isso abria portas e é chamado para trabalhar nos EUA e dirigir seu primeiro filme, com capitais norte americano, chamado O Homem Sem Face (1993) e dois anos após dirige e atua em sua única obra prima. Um dos cem melhores filmes que O CINEMA produziu chamado Coração Valente (1995). Nos próximos anos atuou. Ficou milionário! Para finalmente dirigir um polêmico filme chamado A Paixão de Cristo (2004) e após mais polêmica com Apocalypto (2006). Após isso fez muita m. Bateu na mulher, se envolveu com o alcoolismo e principalmente ofendeu a comunidade judaica. Esquecendo que a indústria cinematográfica é ou está nas mãos dos judeus. E foi esfriado e nunca mais dirigiu. Caiu no ostracismo! Tão somente atuou em filmes B (baixo orçamento). Um exemplo: Plano de Fuga (2012). Um bom filme, até. Mas pouco assistido e sem repercussão alguma. Antes de continuar tenho que dizer que este cara é muito religioso. É católico praticante! Portanto sua filmografia tem um fundo abertamente religioso. Alias sua perda, seu esquecimento por longos 10 anos, foi exatamente por um fanatismo deste. E depois sua violência, nos filmes, tem também muito disso, de religião. O que sofre Jesus no A Paixão de Cristo e igualmente o personagem de Apocalypto. Ele gosta de uma violência estilizada. Com muito sangue! Partes de membros dilaceradas e outras coisas. Para finalmente desembocar neste violento e apaixonante Até o último Homem. Onde, é nele, e após dez anos, Mel Gibson volta em grande estilo para o mundo cinematográfico, e é claro, na direção. Com capitais visivelmente australiano e com parte, igualmente, norte americana. O diretor Mel Gibson volta em grande estilo. Aquele roteiro do soldado adventista vivido esplendidamente pelo ator "cara de bobão" Andrew Garfield e que não gosta de armas de maneira alguma. Caiu como " uma luva em seu colo". Pois a religião é mais uma vez fundamental nesta história baseada em fatos reais. A gente não sabe se o personagem Desmond Doss é um enfermeiro medico ou se é um capelão de exercito norte americano. Que coisa mais gozada isso tudo! O filme começa sensacional. Com aquele balé espetacular de tiros, bombas e corpos voando e incrivelmente deformados. É seguramente um aviso para que o espectador deveria ter nervos e estômagos preparados. Pois grandes momentos de emoções iríamos ter nos próximos 139 minutos. E não deu outra. Com grandes atuações onde além deste ator cara de bobão Andrew Gardfield. Tem um Vince Vaughn e é claro Sam Worthington. E outros que sinceramente não lembro o nome. Mas isso só comprova que Mel Gibson é um belíssimo diretor de atores. Pois são atores desconhecidos, mas apesar disso, tiveram grande atuação. Ah! Já estava esquecendo desta lindíssima atriz australiana chamada Teresa Palmer. Que tem mais de 30 anos, mas parece uma mulher de 10 ou menos anos. Provando que beleza, como dizia o poeta Vinicius de Moraes, é fundamental, mesmo. Enfim! Espero que seja o "novo surgimento" de um genial homem DE CINEMA como é Mel Gibson. "Criatura" como ele, é fundamental para alegria, e fortalecimento de uma arte tão fundamental como é, ainda, O CINEMA. Que alegria é tudo isso! Cruz credo!

11/02/2017 - Nilson Jr. (52 anos)

  Bom
Denunciar
Uma mistura de filme de guerra com religioso, mostra o paradoxo entre bravura ( matar inimigos na guerra ) e virtude ( não pegar em armas ). Em total conexão com a atualidade das reações violentas homofóbicas, chacinas em prisões, bandido bom é bandido morto, o drama questiona as ações violentas dos “homens de bem”e a incoerência de amar o próximo como a si mesmo e amar apenas o próximo, mas não o diferente. As cenas de batalha são extremamente realísticas, com imagens de corpos dilacerados em câmera lenta, sangue jorrando por todos os lados e a luz amarelada das explosões contrastando com a paisagem cinzenta da colina, mas a veracidade dos feitos do personagem são questionáveis e tem dimensão hiperbólica, como advém a todo filme americano baseado em fatos reais, onde se procura ressaltar o heroísmo espetacular do protagonista, evidente que sempre um americano.

11/02/2017 - Apolinário Matlhombe (22 anos)

  Ótimo
Denunciar
Que comentário emocionante o seu, senhor Sérgio Sarmento. Por favor, tenha a bondade de adicionar-me em sua longa lista de admiradores. Assisti ao filme ontem, e hoje vim correndo cheio de entusiasmo para comentá-lo, mas parece que já está tudo dito. O filme é magnífico mesmo. Serviu em parte pra conquistar meu gosto por Andrew Garfield, esse actor que vi pela primeira no filme The Amazing Spider Man, que foi na minha opinião uma sequência desnecessária, pois os 3 anteriores já tinham explorado tudo sobre esse mítico personagem da Marvel, vivido tão bem por Tobey Maguire. Está de parabéns Mel Gibson pela valiosa contribuição para o cinema.

11/02/2017 - Ricardo Antonio (42 anos)

  Ótimo
Denunciar
Já começo dando minha opinião sobre o filme, Ótimo! Direção, atores e efeitos especiais perfeitos, para a recriação das cenas de guerra, sensacionais! O Filme conta a história real de Desmond Doss, Cristão convicto (não importa para mim a religião dele, mais mostra que ele era Adventista), mais sim com a ajuda de Deus o que ele realizou. Sim ajuda de Deus, pois realmente o que ele fez somente Deus por aquele rapaz! Até o meio do filme vai se contanto a trajetória dele até chegar finalmente à batalha, e olha, é de se refletir, sobre convicção e fé em Deus, e tudo que ele passa e enfrenta e demonstra que ele tinha demais as duas! É de se assistir e aplaudir de pé, um herói de verdade, um cristão de rara virtude. Grande filme, grandes atores, ótima direção de Mel Gibson. Filme Espetacular!

12/02/2017 - Alberto Dias (26 anos)

  Ótimo
Denunciar
Primeiramente quero dizer que é um filme espetacular e que dificilmente vai ter um que o supere neste ano. Mel Gibson é uma pessoa que tem uma sensibilidade e qualidade para fazer filmes como poucos. O filme conta a história sensacional de Desmond Doss, um homem fiel aos seus princípios e a sua fé. Ele fez um voto a Deus e cumpriu mesmo diante de toda pressão em não cumprir. E graciosamente salvou a vida de 75 soldados que, sem dúvidas, teriam Morrison se não fosse por este grande homem. Palmas para a atuação de Andrew Garfield. Terá minha torcida para ganhar a estatueta.

19/02/2017 - Rudrigui (33 anos)

  Ótimo
Denunciar
Meu comentário é totalmente onomatopéico>>>> CLAP CLAP CLAP CLAP para esse filmaço e >>>>>> CLAP CLAP CLAP para a Resenha do Sr SERGIO, simplesmente a melhor já feita por ele neste website! TA TUDO LÁ... Repito Novamente de novo redundantemente>>>> CLAP CLAP CLAP
FILMAÇOOO.

20/02/2017 - Vanessa (34 anos)

  Ótimo
Denunciar
Primeiramente, cumpre observar que as salas de cinema do país não deram o devido espaço para a reprodução dos filmes indicados ao Oscar tais como este, "a qualquer custo", "manchester a beira mar" e etc. Somente la la land teve espaco, o que é lamentavel. Foi um custo consegui assistir esse filme no cinema, mas finalmente consegui encontrar uma sessão unica das 23hrs. O esforço valeu muito a pena porque este filme é espetacular. O roteiro é bastante original considerando os inumeros filmes de guerra que já se produziu nessa vida, literalmente consegue te prender a atenção do início ao fim. A atuação dos atores também precisa ser elogiada principalmente desse rapaz Andrew Garfield. Creio que o Oscar deveria ficar entre ele e o Casey Affleck, pois foram as duas melhores atuações desse ano, mas infelizmente o provável é que deem ao Ryan Gosling de La La land... Uma pena, uma injustiça. Em resumo, o filme vale cada centavo do ingresso. Lindo demais.

25/02/2017 - Robson (57 anos)

  Ótimo
Denunciar
Ótimo filme de Mel Gibson. Não vemos passar as 2 horas de uma história verdadeira, com boas atuações e bons efeitos, exagerado um pouco nas cenas explícitas.

25/02/2017 - Salgueiro (43 anos)

  Ótimo
Denunciar
Filme Excelente em todos os sentidos! O filme é de arrepiar!

26/02/2017 - Papik (33 anos)

  Regular
Denunciar
Dá para a assistir. Filme de guerra é tudo parecido. Gostei da escolha de Andrew Garfield para o papel do soldado que se recusa a pegar em armas, mas se oferece para cuidar dos companheiros feridos no campo de batalha. Ele passa a humanidade necessária a esse personagem.

Novo Comentário
Faça seu comentário, mas por favor, siga estas regras:
- Não faça perguntas, faça comentários sobre o filme;
- Não conte o final do filme nem partes importantes para o desfecho, mas se necessário marque o texto;
- Seja objetivo e descreva o porquê de sua nota;
- Se você ainda não assistiu ao filme, dê nota "Não vi";
- Não critique outros comentários, apenas faça o seu, sem preconceitos;
- Se você não gosta deste gênero de filme, é melhor não comentar;
- Comentários que descumprirem estas regras, serão excluídos totalmente.

 Agradecemos a colaboração. Bom uso!

O Texto Contém Spoiter? Sim / Não     Selecione o texto com "Spoiler" e click aqui.

Nome: Idade:  Nota:

Últimos Visitados

Até o Último Homem (Hacksaw Ridge)

Copyright © 2017 www.interfilmes.com - Todos os Direitos Reservados. Acesse a Política de Privacidade.