Share on Google+

Silêncio

  (Silence)
Sinopse Dois padres jesuítas, Sebastião Rodrigues (Andrew Garfield) e Francisco Garupe (Adam Driver), são enviados ao Japão do século XVII à procura do seu mentor desaparecido (Liam Neeson). Com o país fechado ao mundo exterior, e o Catolicismo proibido, eles enfrentarão perseguição e violência em uma jornada de resgates e descobertas espirituais.

Share on Google+

Informações


Título no Brasil Silêncio
Título Original Silence
Ano Lançamento
Gênero Drama / Épico
País de Origem EUA / Taiwan / México
Duração161 minutos
Direção
Estreia no Brasil 09/03/2017
Estúdio/Distrib. Imagem Filmes
Idade Indicativa 16 anos

Elenco


... Rodrigues
... Garupe
>> Ver todo o Elenco...

Trilha Sonora


“Francesco's Cosmic Beam Experience live, Marina Del Rey ”Composed e
Interpretada por Francesco Lupica
“The Monk Thinks His Wife ”Traditional song, arranged e
Interpretada por Pien-Pien Yen e Tyng yi Chen
>> Ver toda a Trilha Sonora...

Trailer



Comentários


10/03/2017 - Sérgio Sarmento (63 anos)

  Ruim
Denunciar
Assisti NO CINEMA, nesta data, quando de sua estreia nacionalmente efetivada no dia de ontem. Olha! É a terceira incursão do "professor" DE CINEMA Martin Scorsese. O primeiro foi A Última Tentação de Cristo (1988) e é claro fala sobre os cristãos e católicos. O cara na juventude foi católico. Este é disparado o melhor dos três. O segundo foi um esquecível Kundun (1997) e que dissecava a religião Budista. Em outra parte de sua vida Scorsese foi budista. Para finalmente dirigir este Silêncio (2016). Um filme que mostra as duas religiões de suas duas primeira produção religiosas. É claro que Silêncio (2016) tem o catolicismo como padrão na produção. Pois é enviados padres religiosos ao Japão em 1640 para converter os japoneses ao catolicismo. E com certeza vão sofrer perseguições, pois todos sabemos, ou deveríamos saber, que o Japão tem como uma de suas principais religiões o budismo. Ver um filme como Silêncio (2016) pensamos de cara. O que o veterano diretor Scorsese faz dirigindo um filme como este? Um filme que não tem quase trilha sonora. É um silêncio deste a primeira tomada, e antes dos créditos finais, com aquele escuro na tela de "dar nos meus dedos" da gente. Um metragem absurdamente enorme com aqueles 161 (sempre e eternamente cronometrados por mim) minutos. Se passa todo ele na selva japonesa (mas filmado na ilha de Taiwan (Formosa). Um filme pesado! Absurdamente pesado! É ruim como aventura. Um conteúdo ridículo para ser um épico. Mas principalmente decepcionante como CINEMA. Em suma! É obra que sempre pergunto após assistir. Como " se cria uma criança " (o filme, para quem não entendeu) como essa. E o pior de tudo! Assinado por um veteraníssimo diretor (e que sempre pensei e penso que ele sabia tudo DE CINEMA) e que acompanho deste 1972 quando foi lançado seu primeiro filme EM CINEMA no Brasil. Estou falando do notável Sexy e Marginal (Boxcar Bertha 1972). Com a deslumbrante, sexy, linda e "tudo de bom" BARBARA HERSHEY então com 23 "aninhos". Enfim! É mais um erro do grande SCORSESE e se não me engano seu último bom filme, do século, foi Os Infiltrados (2006). Só espero que seu último trabalho, e que se encontra em pré-produção, e chamado IRLANDÊS (The Irishman) com Robert De Niro, Joe Pesci, Harvey Keitel Al Pacino. E que pelo título e seu elenco é sobre gangsterismo, máfia ou coisa que o vale. Coisa que "o velho" diretor é mestre. Repito! Espero que este filme venha redimir este belíssimo diretor MARTIN SCORSESE um dos maiores diretores da história DO CINEMA. E TENHO DITO!

12/03/2017 - Adriano Toledo (38 anos)

  Bom
Denunciar
O filme não é ruim, mas é muito arrastado. Valeu pela excelente atuação de Andrew Garfield e pela reflexão que proporcionou.

12/03/2017 - Marcos Sousa (47 anos)

  Regular
Denunciar
Filme com uma temática interessante, mas muito demorado. É um filme regular.

16/03/2017 - Felipe Hudh (31 anos)

  Ótimo
Denunciar
Não sou fã de filmes gigantes e parados, mas esse filme é incrível. Fotografia linda, história maravilhosa, só achei que os atores podiam falar algumas cenas entre eles em português, visto que são portugueses... Andrew Garfield definitivamente apagou aquele Homem Aranha vergonhoso pra se tornar um ator de primeira linha tanto nesse filme como em "Até o último homem", curiosamente outro papel religioso. Enfim, vejam sem pressa. Ótimo filme.

26/03/2017 - Robson (57 anos)

  Bom
Denunciar
Não é o melhor do Scorsese, mas o filme dá conta do que se propõe, mostrando como foi a evangelização cristã no Japão. Andrew Garfield mais uma vez está muito bem.

26/03/2017 - Cri-crítico (49 anos)

  Bom
Denunciar
Bom filme com belíssima fotografia e uma história muito interessante. Eu gostei bastante. Nota 8.

26/03/2017 - Felippe (31 anos)

  Ruim
Denunciar
Esse filme tinha tudo para ser melhor mais eu achei sem conteúdo, muito fraco.

02/04/2017 - Henrique (59 anos)

  Bom
Denunciar
Silencio é sobre a luta silenciosa da fé cristã, tem que estar bastante disposto em acompanhar a trajetória dos jesuítas, pois é um filme lento, as vezes contemplativo, triste e sensível. Apesar de ser longo (160 minutos), eu me envolvi na história e não vi o tempo passar. Não é das melhores obras de Scorsese, mas gostei.

08/04/2017 - Sidney (25 anos)

  Bom
Denunciar
Assim como a maioria dos filmes religiosos, Silencio vai gerar polemica, entretanto a história levanta pontos muito interessantes, seja você religioso ou não. A direção é muito boa, estica um pouco, mas não me senti tão cansado durante as quase três horas. É um filme difícil, amargo, e nada otimista, mas muito interessante. Nota 7,5.

09/04/2017 - Renato Oliveira (40 anos)

  Ótimo
Denunciar
Filme de conteúdo real, com algumas cenas violentas e fortes e com boas atuações. Acredito que muitos não vão gostar em razão do tema, duração maior que 2 horas e quase nada de trilha sonora. No entanto, para quem quer saber um pouco o que aconteceu com a inserção da religião católica no Japão, vale assistir! Ótima produção.

02/05/2017 - Amanda (21 anos)

  Ótimo
Denunciar
Um ótimo filme. Me prendeu desde o início, com sua trilha sonora quase nunca presente, fazendo jus ao título. Uma história que levanta pontos bem interessantes e que quase não são conhecidos. Enfim, recomendo para quem estiver com um tempo livre, afinal, tempo é algo que esse filme consome um bocado. Mas no geral, é um filme que te faz refletir bastante e querer entender mais sobre o assunto. Estava com uma expectativa bem alta e ele não me desapontou. Mais uma vez, palmas para o brilhantíssimo Scorsese.

26/05/2017 - Kassio Freitas (19 anos)

  Péssimo
Denunciar
Longo demais e o tema é desinteressante a mim pelo menos, não curti e larguei de mao.

Novo Comentário
Faça seu comentário, mas por favor, siga estas regras:
- Não faça perguntas, faça comentários sobre o filme;
- Não conte o final do filme nem partes importantes para o desfecho, mas se necessário marque o texto;
- Seja objetivo e descreva o porquê de sua nota;
- Se você ainda não assistiu ao filme, dê nota "Não vi";
- Não critique outros comentários, apenas faça o seu, sem preconceitos;
- Se você não gosta deste gênero de filme, é melhor não comentar;
- Comentários que descumprirem estas regras, serão excluídos totalmente.

 Agradecemos a colaboração. Bom uso!

O Texto Contém Spoiter? Sim / Não     Selecione o texto com "Spoiler" e click aqui.

Nome: Idade:  Nota:

Últimos Visitados

Silêncio (Silence)

Copyright © 2017 www.interfilmes.com - Todos os Direitos Reservados. Acesse a Política de Privacidade.